sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Apagão Mundial - em prol da vida da e na terra

Escuridão mundial: No dia 29 de Fevereiro de 2008 das 19:55 às 20:00 horas propõe-se apagar todas as luzes e se possível todos os aparelhos eléctricos, para o nosso planeta poder 'respirar'.
Se a resposta for massiva, a poupança energética pode ser brutal.
Só 5 minutos, para ver o que acontece.
Sim, estaremos 5 minutos às escuras.

Podemos acender uma vela e simplesmente ficar a olhar para ela, ou para o mundo.


Estaremos a respirar.


O planeta e nós.
Lembrem-se que a união faz a força e a Internet pode ter muito poder e podemos mesmo fazer algo em grande.
Passa a notícia se quiseres, se tiveres amigos a viver noutros países envia-lhes e pede-lhes que façam a tradução e adaptem as horas.
(post de autoria de Adesenhar)

sábado, 16 de fevereiro de 2008

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

pérolas da vida



Olho os rostos nas ruas, nos autocarros, no metro…Olho e observo a maciez, a falta de brilho de cor de vida.

Vejo o cansaço.

A ausência do ser, de corpos que se movem e mecanicamente executam tarefas.
Triste. Tristeza às toneladas.
Folheiam-se jornais e lemos desgraças dores flagelos assassínios….às molhadas, tornando o mundo um local ainda mais penumbroso, sombrio, ameaçador.
No meio de todas estas imagens e cenários do dia-a-dia de que deixo SÓ, dois exemplos:
- no passado mês de Janeiro 45.000 pessoas morreram, na República Democrática do Congo, na sequência da guerra civil e da fome;


- por ano 600.000 mil pessoas são traficadas no espaço europeu. Mulheres e
crianças maioritariamente. Mais de 80% são mulheres e crianças e cerca de 70% são transformadas em escravas do sexo.

No meio de cenários destes uma notícia positiva, de alegria, bem-estar, harmonia, merece destaque maior porque senão passamos todos a ver o mundo a preto e branco quando na sua imensa riqueza e variedade ele continua com todas as cores do arco-íris aí, disponível para o vermos e vivermos de uma outra forma.
Uma família de 5 pessoas, pais e 3 filhos, são, há anos, os únicos habitantes da aldeia de Aigra Velha, na Serra da Lousã, a 15 Km de Góis, sede do Concelho.
A filha mais velha já licenciada mantêm-se na cidade onde os irmãos mais novos tiram os cursos para acompanhamento e apoio MAS os 3 pensam retornar à terra - e para lá correm sempre que os estudos o permitem - sendo que dois deles já têm trabalho assegurado no Concelho e a mais nova não vê dificuldade de inserção laboral e sabe que encontrará solução.
Deixo-vos com algumas palavras da mãe e do pai:
Mãe - «”O céu, o sol, a lua e a terra, aqui tudo é nosso”»
Pai – recusou a identificação/designação de chefe de família assumindo-se como «” um elemento de uma casa onde existe uma carteira e a liberdade para que cada um escolha o seu caminho.”»

P.S – Notícia no Jornal de Notícias, 3 Fev.2008:37